Segurança

Fogo atinge fórum de Parambu e processos são queimados

Um princípio de incêndio, supostamente criminoso, destruiu vários processos judiciais que estavam guardados no Fórum da Comarca de Parambu. O fato aconteceu por volta das 21h30 desta quinta-feira (20) quando populares perceberam a fumaça que saía do prédio e acionaram a polícia.

Uma composição da Polícia Militar, Guarda Municipal de Segurança Escolar e BPRaio se dirigiram ao local e acessando a murada lateral direita do prédio, por uma porta, tiveram acesso à sala onde se concentrava o foco de incêndio e em meio a fumaça tóxica, com água e uso de extintores de incêndio conseguiram apagar o fogo.

Uma guarnição do Corpo de Bombeiros de Tauá foi acionada e chegou 50 minutos depois, concluindo o trabalho de controle dos focos que em faíscas “se ardiam” entre papéis de processo queimados e revirados pelo chão.

Segundo informou o Cabo Rocha da Polícia Militar, que atuou no combate às chamas, o fogo se concentrou basicamente na Sala de Audiências do Fórum, sobre um birô e uma prateleira onde estavam vários processos.

Gavetas estavam reviradas e documentos jogados pelo chão. Noutra sala ao lado funciona a secretaria do Fórum, com várias prateleiras e tantas outras pastas com documentos que não foram atingidos.

Ainda segundo informações de policiais militares que atenderam a ocorrência, as circunstâncias apontam para um ato criminoso, pois, uma janela lateral do prédio estava arrebentada, além dos documentos revirados.

O prédio não conta com vigilância noturna e nem com sistema de videomonitoramento, o que facilita a ação de criminosos e dificulta o trabalho de investigação. Parte da murada que dar para a rua de trás do prédio é um terreno baldio em aberto.

Segundo informações da Diretora de Secretaria do Fórum, Misia Possidônio, aproximadamente 1.800 processos tramitam na Comarca de Parambu e todos os arquivos estão guardados no local, na forma de processos físicos, ou seja, ainda não totalmente digitalizados.

Ainda segundo a mesma, todas as informações estão sendo repassadas simultaneamente para o Tribunal de Justiça do Ceará e nesta sexta-feira, 21, o local deverá ser periciado e as investigações necessárias iniciadas por parte da Polícia Civil. Enquanto não houver o trabalho pericial não dar pra fazer o levantamento do que foi destruído.

Enquanto isso, o atendimento ao público estará suspenso.

(Redação do Blog Por Abraão Barros)

Compartilhe:

Comente com Facebook