Segurança

4.500 presos participam da maior edição do Encceja da história do Ceará

As pessoas privadas de liberdade em todo o Brasil realizam nesta terça-feira (8) e quarta-feira (9), o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, o Encceja PPL 2019. No Ceará, mais de 4.500 internos participam da prova que dá a oportunidade de certificar os detentos em nível Fundamental e Médio.

Na maior unidade do Estado, o Centro de Execução Penal e Integração Social Vasco Damasceno Weyne (Cepis), a aplicação do Exame acontece na quadra poliesportiva da unidade e em mais quatro salas de aulas.Quase 300 internos realizam a prova no primeiro dia.

O diretor da unidade, Paulo José, comenta sobre a organização para a realização do Exame e as diversas atividades normalmente. “É uma engenharia forte que nós pregamos dentro da unidade em virtude de que, condicionar todos os internos que estão aptos a fazer a prova do Encceja, é um exercício coletivo. Pois além do Encceja, está acontecendo aulas teóricas e práticas dos cursos profissionalizantes, por exemplo. Mas sabemos da importância do Exame de relevância nacional e dá oportunidade ao detento a uma ressocialização de fato”, afirma o diretor.

Assessor Educacional da Secretaria da Administração Penitenciária, Rodrigo Moraes, registra a felicidade do crescimento no número de participantes. “Nós tivemos um crescimento de quase 70% no número de inscritos em relação ao ano passado. Estamos felizes com esse crescimento, felizes com a atual gestão e o o Governo do Estado, que juntos estão investindo e dando melhores condições para que esse apenado consiga um melhor convívio social e também no mercado de trabalho”, enfatiza Rodrigo.

Coordenadora do Encceja, Magnólia Maria Costa, fala da importância no aprendizados dos internos com o Exame. “A importância desse trabalho dentro do sistema penitenciário é de grande valia para todos nós. Para os internos, isso ganha ainda mais magnitude, pois eles aprendem e também conseguem, em caso de aprovação, uma remição de pena de até 66 dias”, explica.

Participante do Exame em nível Fundamental, o apenado Felipe Costa, contou sobre a experiência. “Achei uma experiência incrível. Eu tive um pouco de dificuldades, mas fui lendo com calma, abrindo a mente e os professores também me ajudaram com orientações. Essa é uma prova que nos ajuda muito com a ressocialização de uma vida melhor saindo daqui”, disse o participante.

As provas são aplicadas em 19 unidades prisionais do Ceará.

Detalhes do Exame

Pela manhã as provas tem início às 9h e terminam às 13h. A tarde o início dos exames será às 15 e seguem até 20h. São 120 questões no total para os participantes do Exame divididos em quatro provas. 67 professores estão envolvidos nas provas esse ano. Além de coordenadores e diretores das escolas.

As provas do Ensino Fundamental são divididas em Ciências Naturais, Matemática, Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação e História e Geografia. Já no Ensino Médio as avaliações são similares as do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem): Ciências da Natureza e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Linguagens, Códigos e sua tecnologias e Redação e Ciências Humanas e suas tecnologias.

Remição de pena

Se aprovado, o detento ganha a certificação para a conclusão do ensino fundamental Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). O apenado que tiver a aprovação também terá a remição de pena. Ela varia de acordo com a conclusão. No Ensino Fundamental são 66 dias a menos de pena. Já no Ensino Médio são 50 dias a menos.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Redes Sociais

Feiticeiro Fm