Destaques

Crediamigo deve crescer 29% até 2020, aponta BNB

Para 2020, o Banco do Nordeste (BNB) projeta crescimento de 29% do programa de microcrédito urbano Crediamigo no Estado e também em toda a área de atuação do banco, com o desembolso de aproximadamente R$ 11 bilhões. “Em 2018, contratamos R$ 9 bilhões. É um número expressivo. Com o Programa Verde Amarelo, a gente quer dobrar esse valor em três anos”, disse o presidente do BNB, Romildo Rolim, durante assinatura de convênio de cooperação técnica com o Sebrae, ontem (22).

Considerando todas as linhas de financiamento, o banco espera fechar o ano com R$ 40 bilhões em contratações de crédito. A expectativa do Governo é que o Programa Verde Amarelo, lançado no início deste mês, gere cerca de 4,5 milhões de empregos até o fim de 2022.

O presidente do BNB destacou ainda que o acordo com o Sebrae permitirá que pessoas que hoje atuam na informalidade possam ter acesso às linhas de crédito da instituição. “São pessoas que estão na economia subterrânea, mas são empreendedores. E a gente precisa estar junto com eles, apoiando e dando suporte”, disse Rolim. Hoje, o BNB tem 2,5 milhões de clientes ativos em crédito urbano, com meta de dobrar o número até 2022.

Cooperação

O acordo de cooperação técnica irá abranger cerca de 2 mil municípios do Nordeste, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo. Por meio da parceria, os clientes contarão com capacitação técnica e gerencial. O Crediamigo, que atende empreendedores formais e informais, pode oferecer empréstimos de até R$ 21 mil. Hoje, o BNB responde por 65% de todo o microcrédito produtivo orientado do País.

“O Nordeste tem uma tradição muito empreendedora. É natural que a gente busque somar esforços do Sebrae, que mais entende de microempreendedores, junto com o BNB, que tem o melhor programa de microcrédito do Brasil”, disse Gustavo Ene, secretário do Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia. Ele afirmou que, além do BNB, BNDES, Caixa e Banco do Brasil serão chamados a participar desse processo.

Segundo o diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Eduardo Diogo, estuda-se criar um pacote de serviços dentro do BNB para reduzir a inadimplência do microempreendedor individual (MEI). “Queremos fortalecer nossa atuação e atender ao MEI para que a gente possa aumentar a produtividade deles”.

FNE

Até outubro, o BNB financiou R$ 21,5 bilhões com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), com média de 18 mil operações de análise e concessão de crédito por dia. Somente para as micros e pequenas empresas, o banco destinou, neste exercício, aproximadamente R$ 3 bilhões, distribuídos em 36 mil contratações.

(Diário do Nordeste)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Redes Sociais

Feiticeiro Fm