Regionais

Comarcas de Monsenhor Tabosa, Ararendá, Poranga e Ipaporanga serão vinculadas a outras cidades da região

Aproximadamente 40 comarcas do interior do Ceará deixarão de funcionar e serão agregadas a outras comarcas maiores. A decisão consta em uma resolução aprovada por unanimidade pelo Tribunal de Justiça do Ceará, em sessão realizada nesta quinta-feira (05).

A decisão pegou muitos municípios de surpresa. Como é o caso de Monsenhor Tabosa e Hidrolândia que serão vinculadas a Santa Quitéria. Na mesma situação, estão os municípios de Ipaporanga, Poranga e Ararendá que foram vinculados à Crateús; e os municípios de Quiterianópolis e Parambu, vinculadas a Tauá. Segundo o tribunal, os fóruns dessas cidades permanecerão abertos, com funcionários para atender à população local, bem como estrutura necessária para realização de audiências por videoconferência.

A mudança tem por objetivo otimizar a prestação de serviços em todo o Estado, garantindo atendimento mais célere ao cidadão. As mudanças deverão  modernizar o funcionamento da Justiça estadual. As alterações serão implementadas gradativamente ao longo das próximas gestões, sem aumento de despesas, conforme estudo realizado por técnicos da Secretaria de Planejamento e Gestão do Tribunal.

“É importante destacar que nenhuma comarca será fechada. Nem servidores, população, nem os advogados serão prejudicados. As mudanças objetivam aprimorar os serviços à sociedade e tornar a máquina da Justiça mais ágil para responder às expectativas de um Judiciário cada vez mais moderno”, explica presidente do Tribunal, desembargador Washington Araújo.

O desembargador ressaltou que a implantação dos recursos tecnológicos facilita para as partes e advogados porque não precisam se deslocar até a comarca onde tramita o processo. “Hoje o sistema de videoconferência é uma realidade em todas as comarcas do Estado e já no início do próximo ano será concluída a implantação do processo eletrônico nas unidades do Interior. Essas ferramentas encurtam distâncias, reduzem custo para a Justiça, promovem maior transparência e segurança, e possibilitam serviços mais ágeis ao cidadão”, acrescentou.

NOVOS CASOS

Os processos novos das comarcas agregadas serão distribuídos conforme a competência de cada juízo, nas respectivas unidades judiciárias das comarcas-sede, contudo, o início desta alteração dependerá de autorização da Presidência do Tribunal, que estabelecerá a ordem cronológica de implementação da reestruturação, em conformidade com a capacidade administrativa do TJCE.

Os acervos processuais em tramitação nas comarcas vinculadas não serão transferidos para suas respectivas sedes até que sejam substancialmente reduzidos, mediante parâmetros definidos pela Presidência, sob a responsabilidade de magistrados designados, podendo contar com apoio da atuação do Núcleo de Produtividade Remota.

SOBRE OS SERVIDORES

Nenhum cargo de servidor efetivo, lotado nas comarcas agregadas, será extinto ou transformado. Além disso, aos servidores será assegurada a participação em concurso de remoção.

Outra opção para o servidor será o exercício de suas atividades na comarca agregada, utilizando as dependências físicas para atuação remota nos processos em trâmite na comarca-sede, garantido, ainda, sua residência na comarca vinculada e a percepção da Gratificação de Estímulo à Interiorização (GEI).

Veja aqui como ficará a nova distribuição das comarcas.

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm

error: Alerta: Conteúdo protegido !!