Regional

Agricultor procura agência da caixa em Crateús e descobre que para a instituição, ele estava morto.

O agricultor João Alves Siqueira, 58 anos, procurou a agência da Caixa Econômica de Crateús na manhã desta terça-feira (29), para realizar alguns procedimentos bancários de seu interesse. Após ser atendido e ter dado início ao que pretendia fazer, foi surpreendido pelo funcionário que o atendeu com a informação de que para o banco, ele estaria morto.

Isso mesmo, consta no banco de dados da instituição uma certidão de óbito, datada do mês de maio de 2016, informado que o agricultor não estava mais vivo, portanto, não poderia realizar nenhum procedimento, nem na agência e nem em nenhuma repartição pública.

Inconformado com a situação, João Alves, que reside na localidade de Várzea Alegre, zona rural do município de independência, a mais de 60 quilômetros de distância, constituiu advogado e agora cobrará na justiça o esclarecimento por arte da agência, sobre a sua morte, já que segundo ele, nunca apresentou nenhum certidão de óbito a instituição.

Pessoas ouvidas pela nossa reportagem disseram acreditar que o agricultor pode ter sido vítima de algum tipo de fraude e alguém ter utilizado seu nome para a aplicação de algum tipo de golpe, fato que deverá ser esclarecimento com uma investigação aprofundada do caso.

A agência não se pronunciou sobre o caso.

Deixe sua Mensagem

comentários

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 173 outros assinantes