Regional

Evento em Crateús difunde tecnologias adaptadas ao semiárido.

O uso de tecnologias adaptadas ao semiárido ligadas à produção rural constitui-se um dos caminhos para debelar os flagelos socioeconômicos associados à seca no Nordeste brasileiro. É o que o IFCE pretende difundir com a realização do “Dia de Campo: Estratégias de Convivência com o Semiárido”, no dia 2 de junho, das 7h às 12h, no Assentamento São José, distrito de Irapuá, em Crateús. O evento tem como público-alvo produtores rurais do assentamento, alunos e profissionais das Ciências Agrárias. As inscrições serão feitas no local.

As estratégias em foco referem-se à produção agrícola e animal, com ênfase nos sistemas agrossilvipastoris e formação de multiplicadores no município. “O tema foi escolhido em função da importância das atividades agrícolas e da pecuária na alimentação e da renda dos produtores rurais da região”, salienta o professor Liandro Torres Beserra, do curso de Agropecuária do campus.

Tais estratégias se contrapõem ao uso ineficiente dos sistemas tradicionais nas propriedades rurais do semiárido brasileiro, onde se destaca a monocultura e a produção animal sem acesso à assistência técnica. Nesse contexto, a agricultura familiar enfrenta várias dificuldades, destacando-se a carência de informações e serviços adequados para manter a sustentabilidade da produção.

Para o professor Liandro Torres, que coordena o evento, o conhecimento dos principais entraves e das práticas adequadas na produção animal e agrícola da região semiárida favorecerá o desenvolvimento sustentável com a inclusão social da população do Assentamento São José.

Outro ponto que será abordado são as técnicas de implantação e manejo de sistemas Agrossilvipastoris. Trata-se de uma alternativa para recuperação de pastagens degradadas, diversificação da produção vegetal e animal, melhoria das condições térmicas dos animais em pastejo e, consequentemente, melhoria da renda dos produtores, além de propiciar a permanência do homem no campo.

O intuito socioeducativo da iniciativa se evidencia também a partir do parceiros nas ações. Destaca-se a contribuição do casal José Maurício Castro Menezes e Ana Célia Alves Pereira, em cuja propriedade serão abrigadas as atividades da programação. Filha do casal, a estudante Ana Paula Alves Menezes, aluna do curso de Zootecnia do campus, acredita que a iniciativa no local é importante não apenas para sua família, mas também para o assentamento como todo. “Vejo esse projeto como a chance de mostrar a todos os outros assentados que é possível produzir com qualidade”, avalia.

Confira a programação completa na página do evento.

Deixe sua Mensagem

comentários