Regional

Golpe de estelionato em correspondente bancário de Tamboril intriga as autoridades.

Tem se tornado cada vez mais comum, casos de estelionato sendo aplicados por ligações telefônicas. O chamado “golpe do celular” antes praticado por envio de mensagem SMS, o famoso torpedo, evoluiu e agora os autores desse tipo de crime, ligam diretamente para as vítimas.

A tipificação desse tipo de crime dá-se o nome de estelionato e ocorre principalmente em cidades do interior do estado. O caso mais recente em Tamboril aconteceu nesta sexta-feira (16), quando a filha de uma agricultora, recebeu uma ligação dizendo que seu chip teria sido sorteado pela claro para ganhar dez mil reais.

A filha passou o telefone pra mãe. Do outro lado da linha, um homem orientou a vítima a ir ao correspondente bancário mais próximo para a retirada do valor do prêmio. Segundo informações divulgadas pela polícia, a mulher antes de chegar ao correspondente onde o caso aconteceu, já teria passado em outros locais que trabalham com transações bancarias e teria sido alertada que se tratava de um golpe.

Ao chegar ao local, ela perguntou a atendente do correspondente até quanto poderia ser depositado em uma conta. Em seguida, ela saiu e voltou 15 minutos depois com uma bolsa. E passou o telefone para a atendente dizendo “meu patrão quer falar com você”. Em conversa com a nossa reportagem a atendente disse que o homem, se identificou como um conhecido comerciante da cidade, e que inclusive, é cliente do correspondente.

O homem ao telefone, falou com a atendente como se fosse o comerciante. Com naturalidade, ele pediu que ela efetuasse algumas cinco depósitos de R$ 1.500 (mil e quinhentos) – enquanto isso, a agricultora mexia na bolsa dando a entender que estaria com o dinheiro que seria depositado.

Ao efetuar o quarto deposito, a funcionária pediu a quantia já depositada e a mulher em questão disse que não tinha dinheiro. Foi então que a atendente percebeu que se tratava de um golpe.

O valor total do golpe era de R$ 7.500 (sete mil e quinhentos reais). De forma imediata, a agência da caixa de Tamboril foi comunicada do ocorrido e quatro depósitos foram bloqueados. Infelizmente, a quantia de R$ 1.500,00 de um dos depósitos foi sacado pelo autor do golpe.

As contas e os titulares já foram identificados e a polícia civil abriu inquérito para apurar o crime. Tanto a funcionária do correspondente, como a mulher que teria recebido a ligação juntamente com a filha, foram conduzidas para delegacia regional em Crateús, onde foi feito o registro do boletim de ocorrência.

Apesar de ser um crime que tem se tornado cada vez mais comum em cidades do interior. Esse caso levanta questionamentos específicos ao município de Tamboril. Um deles é como o homem que aplicou o golpe sabia o nome de um comerciante da cidade?

Ouvimos algumas pessoas da área de segurança pública sobre o assunto e só há duas hipóteses: Ou o autor do golpe é de Tamboril, ou quem recebeu a ligação informou o nome do comerciante ao estelionatário.

O delegado de polícia civil de Tamboril, Dr. Augusto Soares, vai apurar o caso.

 

Deixe sua Mensagem

comentários

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 173 outros assinantes