Regional

Servidores do município de Nova Russas decidem paralisar atividades para garantir direitos.

O Sindicato dos Servidores Públicos vive uma situação paradoxal com a administração do prefeito Rafael Pedrosa. No primeiro momento, o atual presidente da instituição foi candidato a vereador na mesma coligação do atual prefeito. A vice-presidente recentemente ocupou a assessoria de imprensa da prefeitura. 

Os servidores que pagam suas contribuições querem uma campanha salarial mais aguerrida em relação a administração. Ter um bom diálogo com a gestão é uma coisa, ser subserviente ao poder é outra completamente diferente. Neste momento eles buscam uma autoafirmação para saírem vitoriosos nessa negociação da campanha salarial, uma vez que as categorias já acumulam perdas salariais e permanecem com seus subsídios defasados.

Na Assembleia Geral realizada neste sábado (03) pela manhã, ficou decidido que os servidores, farão uma paralisação geral na próxima quarta-feira (07/03), onde irão apresentar as contra propostas a administração municipal.

A administração ofereceu como reajuste para a categoria do administrativo um aumento de 2% e para os professores 3%. O Sindicato decidiu em Assembleia com a participação de um grande número de servidores que o reajuste para o administrativo será de 6,81% e para os professores de 7,95%. De acordo com a categoria, na verdade não seria um aumento e sim apenas as reposições das perdas salariais no período.

Em relação aos servidores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), não foi apresentado nenhuma proposta de aumento no primeiro momento e ficou definido que haverá uma nova reunião para decidir qual o percentual de reajuste seria dado para os servidores do SAAE.

Especula-se na cidade que esse aumento dos servidores do SAAE, só poderia ser dado, após o envio de um novo projeto para Câmara Municipal para aumento da água. No ano passado, houve um amento na prestação de serviços da autarquia de aproximadamente 100%, sobrecarregando a população mais carente do município. Assim, não seria justo penalizá-los novamente, o mais sensato, neste  primeiro momento, seria cortar os excessos e gorduras de cargos de chefia, gratificações e o excedente de contratos para garantir o aumento dos servidores efetivos. Desta forma, contemplaria as duas camadas, atenderia ao aumento dos servidores e não penalizaria a população com um novo aumento de água, principalmente agora que estamos vivendo uma quadra invernosa.

(Redação do Blog Por Reginaldo Silva)

Deixe sua Mensagem

comentários