Policial

Petrobras: Paulo Roberto Costa tentou negociar com Cid Gomes que afirma: “Não sei quem é”

Em novo depoimento nesta semana, o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, mencionou o nome do Governador Cid Gomes.

Mesmo tendo o seu nome mencionado, a matéria da IstoÉ não mostra Cid Gomes entre aqueles que participaram do esquema de lavagem de dinheiro.

Segundo a IstoÉ, na delação que fez à PF, Paulo Roberto Costa mencionou o governador Cid Gomes, do Ceará, com quem negociou a instalação de uma minirrefinaria no Estado. O projeto seria apenas uma fachada para um esquema de lavagem de dinheiro por meio de empresas que nunca sairiam do papel, conforme IstoÉ denunciou em abril.

Segundo Jornal O POVO, em entrevista exclusiva na edição de 17 de janeiro de 2014, Paulo Roberto afirmou ter procurado o Governo do Cid Gomes com solicitação de terreno para o equipamento. A área é de 10 hectares no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Segundo o empresário, a intenção é de iniciar as obras em dezembro, levando 18 meses para a construção.

O POVO apurou que, na Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), consta documento, protocolado em 17 de julho de 2013, com solicitação de concessão de terreno. Nele, também constam como investidoras interessadas as empresas Totem Investimentos, Energio S/A, Mundi Energia e Macro Corretora de Valor.

A matéria do Jornal O POVO não menciona se houve algum contato pessoal entre Paulo Roberto Costa e o Governador Cid Gomes, apenas afirma que o ex-diretor da Petrobras tinha um projeto para a instalação de uma minirrefinaria no Ceará. (Matéria completa Aqui).

Procurado pela IstoÉ, Cid Gomes afirmou: “Não sei quem é Paulo Roberto. Nunca estive com esse cidadão e sou vítima de uma armação de adversários políticos”, disse o governador na tarde da sexta-feira (12/09).

Perseguição: Segundo correligionários de Cid Gomes, o nome do Governador do Ceará foi incluindo na matéria como parte de uma estratégia da oposição de atacar os aliados de Dilma, por isso, não poderiam deixar de fora o Estado onde a presidenta tem a maior porcentagem de aprovação do país e a maior vantagem nas pesquisas.

Os nomes dos envolvidos: Durante a delação premiada, Paulo Roberto Costa apresentou os nomes e valores que teriam sido pagos aos envolvidos, mas o nome do governador Cid Gomes não foi mencionado nas lista daqueles que participaram e receberam dinheiro do esquema.

Levantamento feito na prestação de contas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela que cinco empreiteiras acusadas de participar do esquema este ano doaram quase R$ 90 milhões a políticos relacionados ao escândalo. Procuradas por IstoÉ, as empresas envolvidas respondem em uníssono que as doações “seguem rigorosamente a legislação eleitoral”.

(Netcina)
Compartilhe!

Feiticeiro Fm