Policial

Venda da GVT para Telefónica preocupa Anatel

A venda da GVT para a espanhola Telefônica acendeu o sinal de alerta de órgãos reguladores e especialistas de mercado. O que preocupa a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em relação ao acordo de € 7,2 bilhões (cerca de R$ 22 bilhões) assinado ontem é a participação de 7,4% que a francesa Vivendi, dona da GVT, passa a ter na Telefônica Brasil, dona da Vivo, e de 8,3% na Telecom Itália, que controla a TIM.

“Temos que saber quais os poderes da Vivendi. É sobre isso que a Anatel e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) devem se debruçar”, afirmou uma fonte da Anatel.

Analistas temem piora na qualidade dos serviços prestados pela GVT.

Atualmente, a Telefônica é acionista da Telecom Itália, participação da qual a companhia tem que se desfazer, por determinação do Cade. O cerne da questão é se a participação cruzada do grupo espanhol em duas empresas — Vivo e TIM — encerra-se com o acordo com a Vivendi ou se o problema simplesmente está sendo transferido para a companhia francesa.

Do ponto de vista concorrencial, no entanto, não há preocupação, segundo a fonte, já que a GVT não atua no segmento de telefonia móvel e as áreas de oferta de serviços se sobrepõem à da Telefônica apenas em São Paulo.*Com informações O Globo.

(Ceará News)

Compartilhe!

Feiticeiro Fm