Policial

Crateús: Homologada a licitação para a construção do maior açude da região.

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) ainda não liberou a ordem de serviço para o início da construção do Açude Fronteiras. O órgão não deu previsão de quando os trabalhos de edificação serão iniciados. O reservatório deverá ser construído neste município, nas imediações dos distritos de Poti, Ibiapaba, Assis, Cabaças e Curral Velho.

No último dia 28 de julho, o Diário Oficial da União publicou a homologação do resultado da licitação da Barragem Fronteiras, que teve como vencedor o consórcio composto pelas empresas Galvão Engenharia e EIT Construções, com a proposta de R$ 170.994.759,23. Segundo o Dnocs já existe a dotação orçamentária de 2014 no valor de R$ 22 milhões para o desenvolvimento da obra. O órgão não informou quando será obtido o restante dos recursos necessários à execução dos serviços.

O açude abrangerá área de 8103,56 hectares, com capacidade para armazenar cerca de 488,18 milhões de m³ de água. O volume hídrico terá potencial de irrigar até 5 mil hectares, proporcionando o abastecimento de cerca de 40% da população urbana de Crateús e 20% da população rural. O repositório de água será o sexto maior do Estado do Ceará e abastecerá, além de Crateús, os municípios de Novo Oriente, Tamboril, e cidades da Região dos Inhamuns.

A obra faz parte do Cinturão das Águas, que, segundo o governo federal, tem por objetivo dar segurança hídrica para todos os moradores do Ceará, além de integrar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

A barragem é a primeira a represar o curso do Rio Poty, sendo hoje bastante aguardada pela população que será favorecida com o equipamento.

De acordo com a presidente do Comitê de Apoio aos Produtores da Região do Lago de Fronteiras, Edna Rodrigues, “a expectativa é grande para o início da construção e a luta é diária, pois essa barragem só trará benefícios para a região. O Comitê e o prefeito de Crateús, Mauro Soares, têm lutado bastante para o início da construção desse açude” destacou Edna.

O açude beneficiará população de aproximadamente 120 mil pessoas, promovendo a redenção hídrica de uma das regiões mais secas do Estado. De acordo com o chefe da equipe de Estudos Básicos da Coordenação de Estudos e Projetos da Diretoria de Infraestrutura do Dnocs, Alan Kardec, a barragem Fronteiras objetivará o controle de enchentes, o abastecimento humano, projetos de irrigação, de piscicultura e de turismo.

Com a construção da barragem, várias famílias estão sendo desapropriadas de suas residências. O Departamento já iniciou o pagamento das indenizações aos que tiveram suas casas despojadas. Segundo o órgão, até o momento, 46 laudos foram pagos, das 855 expropriações previstas, somando 3.298,22 ha. E há previsão de até janeiro de 2015 todo o processo de indenizações ser finalizado.

Além disso, o lago da barragem inundará trechos das rodovias BR-226 e BR- 404/CE-189, com cerca de 14Km e 20Km, respectivamente. Também ficarão submersos 20Km da ferrovia que liga o município de Fortaleza a Teresina-PI. O Dnocs afirmou que os trechos de estrada e de ferrovia serão realocados.

(DN Online)

Compartilhe!

Feiticeiro Fm

Cópia de conteúdo proibida!