Policial

Líder do governo Camilo recebe reivindicações de servidores da saúde do estado.

Evandro Leitão

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Evandro Leitão (PDT), recebeu, nesta terça-feira (04/08), servidores de nível superior de várias categorias da saúde do Estado. O grupo pediu a mediação do Legislativo cearense, para abrir um canal de negociação com o governador Camilo Santana a fim de que possam apresentar suas pautas de reivindicações. 

Estavam representadas as categorias de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Odontologia, Veterinária, Psicologia, Nutricionista, Assistência Social, Enfermagem e Farmácia.

O deputado Evandro Leitão ouviu as demandas de cada categoria e pediu um prazo até segunda-feira (10/08) para agendar uma audiência com o governador, a fim de que os servidores compartilhem “seus anseios”. O pedetista ponderou que a responsabilidade das demandas mencionadas, que se acumulam há 25 anos, não podem ser atribuídas ao atual Governo, que está na gestão apenas há 7 meses.

O presidente do Sindicato dos Odontologistas do Estado do Ceará (Sindiodonto-CE), Cláudio Ferreira citou três pontos considerados de fundamental importância para os servidores. Um deles é a revisão das perdas salariais “já históricas”, “que chegam a 172% de 1992 pra cá”. Segundo o representante do Sindiodonto, o vencimento base inicial dos servidores de nível superior da área é R$ 913, “está extremamente defasado em relação inclusive a outros estados do Brasil”.

Outra reivindicação diz respeito ao Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS), que precisa ser reestruturado, conforme Cláudio Ferreira. “Vários servidores hoje da saúde do Estado estão sem conseguir se desenvolver na carreira, ainda recebendo os vencimentos-base do meio da matriz salarial, quando deveriam estar no fim da matriz salarial”, pontuou.

O terceiro ponto de pauta é a realização de concurso público. “O Estado do Ceará apresenta menor percentual do Brasil de servidores públicos em relação à população. Tem 0,8% de servidor para cada cem mil habitantes. É o menor percentual dos 26 estados da federação. Então há uma necessidade urgente de corrigir essa situação. Estamos há anos sem realizar concursos públicos e a saúde é um dos setores que mais são afetados por esta política”, disse.

(Agência – AL)

Compartilhe!

Feiticeiro Fm