Policial

Deputados e entidades criticam violência contra a imprensa no Ceará

O deputado Ferreira Aragão (PDT), requerente do debate, ressaltou que é preciso acabar com esse tipo de crimes, sob pena da situação se agravar ainda mais. Ele citou os nomes de sete profissionais da imprensa que foram assassinados nos últimos anos – cinco deles somente em 2015. Para o parlamentar, a liberdade tem que ser preservada e as denúncias fazem parte do trabalho dos profissionais de comunicação.

Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado José Ailton Brasil (PP), os profissionais de imprensa são fundamentais para a democracia por exercerem a fiscalização e a crítica. Segundo ele, se alguém se sentir caluniado ou difamado por um jornalista, deve buscar a reparação na Justiça.

O deputado Renato Roseno (Psol) avaliou que os crimes motivados por questões políticas deveriam estar passado. Para ele, os crimes contra radialistas no Interior do Ceará demonstram um grande retrocesso. O parlamentar também criticou as empresas de comunicação, por ainda não adotar padrões de segurança para os profissionais.

O representante do Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce), Rafael Mesquita, apresentou dados sobre violência contra trabalhadores da imprensa. Segundo ele, o Ceará é o estado do Nordeste onde mais profissionais foram agredidos em 2014, No País, ficou em terceiro lugar, atrás de São Paulo e Rio de Janeiro. Rafael Mesquita esclareceu que 48% das agressões partem de policiais e 12% de políticos.

O diretor Jurídico da Associação Cearense das Emissoras de Rádio e Televisão, Afro Lourenço, comentou que a violência demonstra a incapacidade de alguns políticos de debater os temas de forma democrática. Segundo ele, as emissoras também sofrem atentados.

Também estiveram presentes na audiência os deputados Sérgio Aguiar (Pros) e Ely Aguiar (PSDC); o representante do Comitê de Imprensa da Câmara dos Vereadores de Fortaleza, Alexandre Rangel; o representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Emanoel Alves Lima; o representante dos radialistas do Interior do estado, Júnior Gonçalves.

Participaram ainda do debate os representantes das prefeituras de Granja e Senador Sá, além dos vereadores de Martinópole, Raimundo Nonato Fontenele; da Secretaria da Segurança Pública do Ceará, tenente-coronel Fernando Rocha; da Associação da Imprensa do Sertão Central, Wanderley Barbosa; o presidente em exercício da Associação Profissional dos Cronistas Desportivos do Estado do Ceará, Nelson Oliveira; o representante do Sindicato dos Radialistas do Ceará, Dennis Luiz; e o representante da Associação Cearense dos Jornalistas do Ceará, João Ferreira.

(Agência AL)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm