Destaques

Ceará é destaque na redução do analfabetismo.

Professores e alunos das 265 escolas públicas do Estado que mais se destacaram em 2016 receberam, na manhã desta quinta-feira (22), no Centro de Eventos do Ceará, o Prêmio Escola Nota Dez. O governador Camilo Santana, acompanhado da vice-governadora Izolda Cela e do secretário da Educação, Idilvan Alencar, entregou as premiações para unidades educacionais de 180 municípios do Estado. O prêmio faz parte do Programa de Aprendizagem na Idade Certa (Mais Paic), que reduziu de 32% para 0,7% o índice de crianças não alfabetizadas na idade certa nestes 10 anos de execução.

O governador Camilo Santana destacou a pactuação coletiva e o empenho de gestores, professores e alunos para que a rede estadual cearense seja hoje uma referência de educação no Brasil.

“Esse é o resultado de um esforço coletivo e pactuado entre Estado, municípios, professores e alunos e, em 10 anos, o Ceará saiu de 32% para 0,7% de crianças não alfabetizadas na idade certa. O Estado investe algo em torno de R$ 60 milhões por ano, com premiação, com programas, material didático. O resultado é que hoje o Ceará é referência nacional em educação, graças a uma política de Estado continuada. Para nós é uma alegria muito grande ter hoje as melhores escolas públicas do País”, comemorou o chefe do Executivo estadual.

Mais Paic

O Governo do Ceará transformou o Programa de Aprendizagem na Idade Certa em política pública prioritária em 2007, com o objetivo de contribuir para a estruturação por parte Ministério da Educação do Pacto Nacional Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). No início, eram avaliados alunos do 2º ano. Em 2011, a Seduc expandiu as ações para o 5º ano, através do Paic+5, visando a uma formação continuada. Em 2015, foi lançado o Mais Paic, ampliando o trabalho de cooperação já existente com os 184 municípios, que além da Educação Infantil e do 1º ao 5º ano, passou a atender também do 6º o 9º ano nas escolas públicas cearenses.

Ao todo, o Mais Paic recebe investimento de R$ 43 milhões do Governo do Ceará, por meio da Seduc, sendo R$ 22,5 milhões distribuídos em premiação para as melhores escolas; R$ 7 milhões para a realização da avaliação; R$ 7 milhões para aquisição de material didático; R$ 5 milhões em bolsas; e R$ 1,5 milhão em apoio logístico para a execução das formações.  

Titular da Secretaria da Educação, Idilvan Alencar garante que ainda há muito a evoluir a cada ano com as ações do programa. Ele destaca que o Ceará tem apresentado frutos pelo compromisso de todos os setores da sociedade, mas alerta que ainda há muito a se fazer. “O Ceará só tinha 12 municípios com índices de alfabetização completa, hoje isso acontece nos 184 municípios. Os resultados do PAIC são impressionantes, principalmente depois da ampliação para o 5º e 9º ano. Temos que continuar encarando esses desafios. Manter os resultados é nosso principal desafio”, completou.

Secretária da Educação na época de surgimento do Paic, a vice-governadora Izolda Cela vê motivo de muita alegria o engajamento de jovens estudantes e agentes pedagógicos para que a Educação em todos os municípios do Ceará continue a apresentar resultados e a dar esperanças de um futuro melhor para crianças e adolescentes. “Eu vejo que a chance que nós tivemos de obter sucesso e seguir avançando na Educação é exatamente por meio desse formato forte do nosso programa. Todos engajados, cada um procurando fazer a parte que lhe cabe. Os agentes públicos, técnicos, a Secretaria da Educação e seus colaboradores, a população de cada município, alunos, coordenadores, diretores, todos entram para valer nesse desafio”, disse.

O exemplo de sucesso visto no Ceará fez com que, em 2017, a Seduc firmasse um termo de cooperação com os estados do Espírito Santo, Maranhão, Amapá e Rio Grande do Norte para promover a experiência do Programa de Aprendizagem na Idade Certa em cada uma destas unidades federativas.

(Seduc)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm