Regionais

Mãe procura a filha biológica que não conheceu e foi doada pelos pais a mais de 20 anos.

Se existem uma coisa na vida que o tempo não consegue apagar, é o amor de uma mãe por um filho. E esse sentimento a mais de vinte anos move a vontade da dona Antonia Regilane Leonardo Araújo, de conhecer a sua primeira filha. A criança, que segundo ela hoje deve está com pouco mais de 20 anos, foi fruto de um relacionamento quando a mesma era menor e ainda vivia na casa dos pais. Na época ela morava no Antigo Papoco, hoje Bairro Nossa Senhora da Glória, na sede do município de Tamboril.

Dona Antonia e suas três filhas”

Tempos depois, ela foi embora pra São Paulo e depois Fortaleza, aonde trabalhou por muitos anos. O sentimento de mãe sempre esteve presente na sua vida e a vontade de conhecer sua primeira nunca saiu do seu coração. Depois de retornar para Tamboril, ela soube que na época a criança foi doada a um casal conhecidos como Sonia e R Soares. O homem em questão era policial militar em Tamboril e segundo as informações já não é mais vivo. A última informação que Dona Antonia obteve foi a que sua filha e a mãe adotiva estavam morando em Sobral. Porém, ela tem conseguido contato com as duas. Já realizou várias tentativas por intermédio de uma conhecida, mas não conseguiu realizar o sonho.

“Eu não quero a guarda dela, eu quero apenas conhecer a minha filha, é um sonho que eu tenho. É tão ruim, ser mãe e não ter contato com um ser que você gerou”. Disse Dona Antonia, ou “Toinha do Bazar” como é mais conhecida, em entrevista a Feiticeiro Fm de Tamboril, e que você ouvirá no final desta matéria.

Ela ressaltou que na época, os pais não aceitaram ela ser mãe tão nova, temiam o falatório. Diante disso ela não chegou nem sequer vê a filha, que logo após o nascimento foi imediatamente doada.

Atualmente mãe de três filhos, ela faz um apelo às pessoas quem estão lendo essa matéria e que possam ajudar uma mãe a conhecer sua filha. Qualquer informação que possa ajudar Dona Antonia a conhecer sua filha, poder ser repassado para o número (88) 9.9450-0239.

Ouça abaixo a entrevista concedida a nossa reportagem.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm