Destaques

Número de presos no Ceará passa dos 29 mil

O recente crime de estupro, cometido contra uma criança dentro de uma unidade prisional, expôs novamente a fragilidade do Sistema Penitenciário do Ceará. Conforme documento de monitoramento do efetivo de presos nos equipamentos, há 29.398 distribuídos nas unidades do Estado.

No Centro de Execução Penal e Integração Social Vasco Damasceno Weyne (Cepis), conhecido como CPPL V, onde a criança de 11 anos foi estuprada, no último fim de semana, há 2.017 presos. O número de pessoas encarceradas é 98,5% maior do que a capacidade da penitenciária.

Os registros da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) mostram que o problema não é pontual. Em outras unidades, a superpopulação é ainda maior. Em todas as penitenciárias há excedente de presos.

Contabilizando todos os internos, inclusive os que cumprem sentenças em regime diferenciado, a superlotação chega a 112,6%. Quando somado o excedente da população carcerária recolhida em regime fechado, o índice é 85,3%.

Conforme dados da Coordenadoria Especial do Sistema Prisional (Coesp), é nos Complexos Penitenciários da Região Metropolitana onde há as maiores taxas de superlotação. Nos equipamentos, há um total de 16.152 internos, enquanto a capacidade foi projetada para 9.736.

No Interior do Estado, os índices também preocupam e mostram a extensão do problema. Nas cadeias públicas, são custodiados 9.051 presos, mas deveriam ser apenas 3.625, se a capacidade das unidades fosse respeitada.

As prisões que custodiam homens têm um excedente de 147,2%. Já nas cadeias femininas, o índice de superlotação nas carceragens é de 86,7%.

Investimento

Ao falar sobre os recursos que serão disponibilizados ao Ceará, até o fim deste ano, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, ressaltou que o problema de superlotação é algo em âmbito nacional. Segundo ele, o Brasil é o terceiro país do mundo com maior número de presos. “Há déficit de 560 mil vagas, que são decorrentes dos mandados de prisão em aberto”, disse. O ministro adiantou que o Governo Federal enviará recursos suficientes para construções de duas unidades prisionais no Ceará.

Outro déficit grave no Sistema Penitenciário cearense é o de agentes penitenciários. Segundo a Sejus, com objetivo de melhorar a situação, um concurso foi realizado para mil profissionais serem distribuídos em todas as unidades carcerárias. Mais 700 aprovados no certame aguardam, no cadastro reserva.

(Diário do Nordeste)

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm

error: Alerta: Conteúdo protegido !!