Regionais

Família Timbó divulga nota sobre incêndios ocorridos no acampamento do MST em Tamboril.

Diante do episódio ocorrido durante a semana envolvendo os moradores do acampamento Irmã Dorothy, em Tamboril, que sofreram duas tentativas de incêndio, classificadas como criminosa e de farta intimidação.

A Familia Timbó, tendo a frente o ex-deputado Pedro Timbó, proprietário do terreno onde foi ocupado pela família, divulgou nota esclarecendo alguns pontos desde a ocupação do local e ressaltou que a família deseja que se encontre uma solução pacífica e ordenaria para tal situação.

Segundo a nota, a família acredita que haja uma tentativa velada de ligar os ataques a família, por conta do apoio declarado destes ao presidente Jair Bolsonaro, durante o segundo turno das eleições.

Leia a nota na íntegra.

Foi noticiado que nesta terça-feira, por volta das 19h, um acampamento do Movimento Sem Terra sofreu um incêndio de causas ainda desconhecidas. Esse acampamento fica localizado no terreno Cacimbinha de propriedade do ex deputado estadual e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado aposentado, Dr. Pedro Timbó.

O Movimento Sem Terra declara que o incêndio ocorrido foi criminoso. Alguns parlamentares ligados ao Partido dos Trabalhadores publicaram vídeos aduzindo que o citado ato teria sido de ordem criminosa. No entanto, as autoridades policiais, que são as responsáveis pela investigação, ainda não concluíram e nem afirmaram qualquer tipo de autoria ou motivo do suposto crime.
Como a família Timbó teve seu nome envolvido por conta do referido episódio, tendo sido veiculado em meios de comunicação, e um dos integrantes
da família é o proprietário do terreno invadido, a Família Timbó vem por meio dessa nota pública esclarecer os seguintes fatos:

1. O terreno Cacimbinha, localizado na zona rural da cidade de Tamboril/CE, de propriedade da família Timbó, foi alvo de invasão na madrugada do dia 24 de abril de 2014, por militantes do Movimento Sem Terra. A fim de recuperar a posse de sua propriedade que adquiriu pelos meios legais, o Senhor Pedro Timbó acionou o Poder Judiciário, onde corre até o momento um processo judicial que busca retomar a referida propriedade.

2. O terreno Cacimbinha é uma propriedade antiga da Família Timbó, adquirido há mais de 100 anos. Inclusive, parte desse imóvel foi DOADO pela família para o município de Tamboril/CE para a construção do Hospital Municipal de Tamboril,
do Conjunto Habitacional Cohab e do Colégio Estadual Luiza Timbó, na época da administração do ex prefeito Chico Timbó, sendo destinado em torno de 10.000 m2 para cada uma dessas obras, totalizando mais de 30.000 m2 de doação de
terras. Essa doação representou uma importante ação nas áreas de saúde, educação e ação social, bem como na função social da propriedade, como uma garantia para as presentes e futuras gerações de tamborilenses.

3. É relevante acrescentar que existe um terreno, em frente ao local invadido, de propriedade da Prefeitura Municipal de Tamboril, adquirido na administração do ex prefeito Chico Timbó, de mais de 170.000 m2. Parte desse terreno já foi construído um conjunto habitacional denominado Novo Tamboril. Na tentativa de solucionar a invasão dos militantes do MST, o ex prefeito de Tamboril, Ramiro Jr. , apresentou um projeto de lei doando terreno suficiente para o governo do Estado
com o objetivo de viabilizar a transferência dos militantes do MST para ocupar esse novo local. No entanto, os militantes recusaram essa oferta preferindo continuar na propriedade da Família Timbó.

4. A Constituição Federal garante em seu artigo 5, XXIII, o direito de propriedade privada. Por meio dessa garantia, o senhor Pedro Timbó, desde o conhecimento da invasão em seu terreno, vem buscando os meios pacíficos e legais que lhe são
postos. Desde a ciência da invasão pelos militantes do MST, o proprietário recorreu à Justiça Estadual para retomar a sua propriedade que lhe é de direito.
Em nenhum momento, em todo esse longo período de mais de 4 anos, o proprietário recorreu a ameaças ou outros meios violentos contra os referidos invasores na tentativa de recuperar suas terras.

5. Dessa forma, demonstra-se o caráter pacífico e democrático da Família Timbó reconhecido pela sociedade, em que sempre buscou a obediência à lei, às instituições públicas e aos poderes constituídos.

6. Diante o exposto, a Família Timbó é a principal interessada na investigação e no deslinde dessas denúncias que envolvem a propriedade do senhor Pedro Timbó. Afirma ainda que confia nas autoridades policiais e judicias que buscarão os
envolvidos no referido acontecimento e que espera a elucidação dos fatos o mais breve possível.

7. Por fim, é bom ressaltar que a Família Timbó declarou apoio explícito ao candidato Bolsonaro nas eleições presidenciais. Por conta disso, há uma tentativa velada de vincular o episódio acontecido à Família Timbó como sendo a responsável pelo fato. Contudo, a Família Timbó reafirma que é inverídica
qualquer acusação nesse sentido e que é contra qualquer tipo de violência, ameaça ou outros meios que não condizem com o Estado Democrático de Direito.

 

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm

error: Conteúdo Protegido !!