Regionais

Pescadores de Tamboril realizam mesa redonda com poder público municipal

Como forma de participação social para a efetivação das políticas públicas representantes do poder público de Tamboril, entidades, pescadoras e pescadores artesanais e Cáritas de Crateús se reuniram nessa quarta-feira, 20 de fevereiro, em uma mesa de negociação. A Mesa de Negociações debateu as demandas dos pescadores e pescadoras de Tamboril e instituiu um canal de diálogo entre o governo municipal, entidades e a categoria da pesca artesanal do município.

A mesa de negociação teve o objetivo de apresentar as demandas da categoria da pesca artesanal e discutir com o poder público e as entidades, possibilidades de solução para as necessidades apresentadas. As demandas foram identificadas a partir de um diagnóstico realizado com pescadores e pescadoras acompanhadas pelo Projeto “Pescadoras e pescadores artesanais construindo o bem viver”. A mobilizadora social Fátima Veras, que acompanha o município de Tamboril, visitou 42 famílias para a realização do diagnóstico.

As reivindicações apresentadas foram: a necessidade de um ou uma agente de saúde para atender as famílias, um terreno para a construção da sede da Associação de Pescadores e Pescadoras Artesanais de Tamboril, cestas básicas para as famílias no período do seguro defeso, a limpeza do açude Carão, a possibilidade de incluir pescadores e pescadoras no Programa de Aquisição de Alimentos –PAA e Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE.

Alguns encaminhamentos foram apresentados pelos presentes. A grande conquista da manhã foi sobre o terreno para a Associação. O Prefeito de Tamboril, Pedro Calisto se comprometeu em doar um terreno da Prefeitura para a construção da sede da Associação: “a prefeitura tem terreno, e eu faço questão de fazer a doação do terreno para que fique garantido pela prefeitura”, afirmou.

Como forma de participação social para a efetivação das políticas públicas representantes do poder público de Tamboril, entidades, pescadoras e pescadores artesanais e Cáritas de Crateús se reuniram nessa quarta-feira, 20 de fevereiro, em uma mesa de negociação. A Mesa de Negociações debateu as demandas dos pescadores e pescadoras de Tamboril e instituiu um canal de diálogo entre o governo municipal, entidades e a categoria da pesca artesanal do município.

A mesa de negociação teve o objetivo de apresentar as demandas da categoria da pesca artesanal e discutir com o poder público e as entidades, possibilidades de solução para as necessidades apresentadas. As demandas foram identificadas a partir de um diagnóstico realizado com pescadores e pescadoras acompanhadas pelo Projeto “Pescadoras e pescadores artesanais construindo o bem viver”. A mobilizadora social Fátima Veras, que acompanha o município de Tamboril, visitou 42 famílias para a realização do diagnóstico.

As reivindicações apresentadas foram: a necessidade de um ou uma agente de saúde para atender as famílias, um terreno para a construção da sede da Associação de Pescadores e Pescadoras Artesanais de Tamboril, cestas básicas para as famílias no período do seguro defeso, a limpeza do açude Carão, a possibilidade de incluir pescadores e pescadoras no Programa de Aquisição de Alimentos –PAA e Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE.

Alguns encaminhamentos foram apresentados pelos presentes. A grande conquista da manhã foi sobre o terreno para a Associação. O Prefeito de Tamboril, Pedro Calisto se comprometeu em doar um terreno da Prefeitura para a construção da sede da Associação: “a prefeitura tem terreno, e eu faço questão de fazer a doação do terreno para que fique garantido pela prefeitura”, afirmou.

(Com Cáritas)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm