Segurança

Promotor de Justiça pretende cobrar a efetiva fiscalização do trânsito de Tamboril

Quem circula pelas ruas da cidade de Tamboril, percebe de imediato a falta de organização, respeito a sinalização e mais do que isso, falta de fiscalização que possa garantir segurança ao condutores e pedestres do município.

Desde o início da atual gestão, o Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) sofreu um verdadeiro desmonte. Dos seis agentes que começaram o trabalho de fiscalização, atualmente existem apenas três em atividade. Antes o suporte para o trabalho dos agentes contava com um carro, uma moto para cada agente e rádios comunicadores que ajudavam a acionar a polícia para ações mais graves. Hoje os três agentes sofrem com a falta de ferramentas de trabalho e dispõe apenas das motocicletas para circular pela cidade.

Praticamente sem poder de ação, os agentes ficam de mãos atadas diante do fardo descontrole e desrespeito presenciado diariamente nas ruas. A única ferramenta é a disposição de conversar com quem está errado, realizando uma orientação e dizendo da importância do respeito às normas de trânsito. Mas isso não tem sido fácil, na grande maioria dos casos, os agentes sofrem ofensas e ameaças.

“Eu abordei uma pessoa que estava subindo na contramão de uma rua e passei a orientar de que ele devia voltar, porque era proibido seguir naquela direção. O condutor da motocicleta passou a fazer ameaças de morte a mim” disse um dos agentes que pediu pra não ser identificado.

A situação relatada acima é vivenciada diariamente por esses profissionais. “O que mais presenciamos são pessoas que invadem sinal, estacionam em locais proibidos, menores em motocicletas, pessoas que conduzem motos com excessos de passageiros. Quando realizamos a abordagem em qualquer um desses casos, a maioria parte para o desrespeito e nos fazem ameaças”. ressaltou o agente.

O assunto já é debatido a muitos anos nos meios de comunicação da cidade. Ao longo desse tempo, diversos foram os registros de mortes violentas em Tamboril. Diante dos casos menores conduzindo veículos que atropelaram e mataram idosos; jovens mortos depois de ingerir bebida alcoólica e saírem conduzindo veículos; pessoas que perderam a vida gratuitamente, quando deixaram de usar o capacete e estavam com ele no braço.

Diante desses registros, o promotor de Justiça José Arteiro Soares Goiano, confirmou em entrevista ao companheiro Gonçalinho Rodrigues que adotará muito em breve medidas cabíveis para obrigar a gestão municipal a moralizar o trânsito de Tamboril.

O magistrado ressaltou que realizará uma audiência pública com as autoridades do município para tratar sobre o assunto e que cobrará a aplicação por parte da gestão municipal, da Lei 9.503/1997, que rege a municipalização do trânsito nos municípios brasileiros.

Apesar de não ter uma data definida, o promotor ressaltou que a audiência pública faz parte do cronograma do Conselho Nacional do Ministério Público e terá efeitos jurídicos de cobrar a implantação de uma fiscalização diária, punindo os infratores e aplicando multas a aqueles que insistem em desrespeitar o trânsito no município.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Redes Sociais

Feiticeiro Fm