Destaques

Março de 2019 teve aporte em açudes três vezes maior do que em 2018

Os 31 dias de março último garantiram aporte de 680 milhões de metros cúbicos de água aos reservatórios cearenses. No mesmo período de 2018, o aporte foi de 220 milhões de m³, três vezes menor. Os números são da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos do Ceará (Cogerh).

O volume pluviométrico para abastecimento dos açudes continua satisfatório. Os três primeiros dias de abril já somam um terço do volume no mesmo mês em 2018, quando somado aos reservatórios 1,14 bilhão de m³ de água.

Assim, o aporte em 2019 já é melhor do que os anos de 2012 a 2016. Os cálculos não incluem os açudes das transferências hídricas para a Região Metropolitana de Fortaleza (Curral Velho, Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião).

Apesar dos bons números, 85 açudes cearenses têm volume abaixo de 30%. Da capacidade de armazenamento (18,6 bilhões de m³ em 155 açudes), o volume operado atualmente representa 15,58%.

Há 30 reservatórios sangrando. São eles, em ordem alfabética: Acaraú Mirim, Angicos, Barragem do Batalhão, Batente, Caldeirões, Cauhipe, Cocó, Diamantino II, Gameleira, Gangorra, Gavião, Germinal, Gomes, Itapajé, Itapebussu, Itaúna, Jenipapo, Maranguapinho, Missi, Poço Verde, Quandú, São Pedro Timbaúba, São José I, São Vicente, Sobral, Tijuquinha, Trapiá III, Tucunduba, Valério e Várzea da Volta.

De acordo com a Cogerh, 22 açudes estão em volume morto, enquanto outros oito estão completamente secos: Faé, Madeiro, Serafim Dias, Potiretama, Carão, Adauto Bezerra, Salão e Favelas.

(O POVO Online)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm