Regionais

Caçada a “Zé do Valério” reúne policiais civis e militares na fronteira do Ceará com o Piauí

Policiais civis e militares estão em uma ação conjunta na Região de Buriti dos Montes, onde foi visto na noite desta terça-feira (17) “Zé do Valério”.  Os agentes de segurança estão espalhados na tentativa de capturar o criminoso. A ação conta com apoio de moradores da região que estiveram com o acusado, que passou pela localidade de Baixão pedindo comida e água. 

Segundo agricultores que tiveram contato direto com o mesmo, ele está debilitado, perdeu peso e apresenta dificuldade de locomoção. Diferente do retrato falado que está sendo divulgado nas redes sociais, o acusado está barbudo e mais magro. Ele anda com um saco nas costas, leva consigo duas garrafas com água, rapadura e farinha, além de um pacote de biscoito dado por um dos agricultores. Um dos moradores disse que só teve certeza que realmente era ele, quando observou que ao caminhar ele mancava de uma perna, como já havia sido divulgado antes pela polícia.

A caçada ao criminoso tem sido cautelosa. O local oferece saídas para uma mata fechada e de difícil acesso. Todo o trabalho tem sido realizado de forma cuidadosa pela polícia e com a colaboração de pessoas que conhecem a região.

As autoridades deram um alerta aos moradores da região, pedindo que eles evitem sair de casa, já que devido a periculosidade do acusado e diante da enorme possibilidade do mesmo ser preso, ele poder pegar alguém como refém para tentar se esconder.

Uma viatura da Polícia Civil de Pedra Branca, sob o comando da delegacia Anarda Araújo que está à frente das investigações, já está na região onde se concentra as buscas. Reforços policiais foram solicitados, inclusive de policia da PM do Piauí.

O crime

O vaqueiro José Pereira da Costa, mais conhecido como “Zé do Valério, matou no dia 25 de abril, a universitária Danielle Oliveira Silva de 20 anos. Ela foi encontrada morta com sinais de agressão em um sítio da família no município de Pedra Branca, interior do Ceará. Ela estava desaparecida desde a quarta-feira (24) e no dia seguinte seu corpo foi localizada a uns 300 metros do sítio.

Filha de pequenos produtores rurais que fabricam queijo, Danielle cursava faculdade de administração e tinha uma loja na cidade. A jovem morava com os pais e ajudava nos serviços do sítio e devido a rotina se dividia entre a sede a zona rural.

Desde o dia do crime, o vaqueiro passou a ser o principal suspeito. O fato se confirmou com a fuga do mesmo, que desde então não foi preso. Já se passaram quase dos meses que o acusado segue foragido.

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm

error: Alerta: Conteúdo protegido !!