Segurança

Roubos de veículos caíram 48% no Ceará no primeiro semestre do ano

Com o balanço positivo nas estatísticas criminais em todo o Estado, o Ceará chega ao seu 25° mês seguido de redução nos Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVPs), conforme dados compilados pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), vinculada à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Entre os números que se destacam, está ainda a queda nos roubos de veículos, que durante o primeiro semestre de 2019, reduziu 48% em comparação ao mesmo período do ano passado.

De janeiro a junho de 2018, 5.042 veículos foram roubados. Com o empenho das forças de segurança, aliado ao uso inteligente da tecnologia, esse número caiu para 2.609. O progresso nos índices vem acompanhado de diminuições ocorridas em todos os meses deste ano. Em junho, a diminuição foi de 41%, indo de 768 para 454. Em maio, foi -50%, passando de 860 para 429. Em seguida vem o mês de abril, que passou de 816 casos para 442, o que corresponde a -46%. A retração aconteceu também em março, quando os 913 roubos de carro de 2018 caíram para 472 neste ano, correspondendo a -48%. Em fevereiro, a queda foi de -49%, indo de 794 para 405. Por último ficou janeiro, com -54%, caindo de 891 para 407.

“Nós nos concentramos em montar uma modelagem de pronta resposta, que o infrator até pode conseguir cometer o crime, mas nós damos a resposta entre cinco e sete minutos, por meio do uso da tecnologia e do cerco inteligente. E para explicar isso, nós partimos um pouco da Teoria Econômica do Crime de Gary Becker, ou seja, o veículo funciona como um catalisador da cadeia delitiva, um meio para outras condutas criminosas. Anteriormente, ele roubava um carro e o utilizava para cometer roubos, por exemplo. Agora, nós conseguimos quebrar essa mobilidade. Além disso, a gente notou as evoluções nos modelos de policiamento e também dos operadores da Ciops, que é um dos principais pontos. Não adianta você ter a tecnologia e a estratégia se a parte que executa os processos não for aprimorada. O tomador de decisão é o quem está mais próximo a base, e esse tomador é quem guia o policiamento e os cercos”, destaca o superintendente da Supesp, Aloísio Lira.

O gestor do órgão vinculado à SSPDS ressalta também as capturas dos criminosos envolvidos nessas ações criminosas e como isso reflete nos números. “À medida que essa pronta resposta foi executada com sucesso, nós começamos a prender reiteradamente quem atuava de forma quase que exclusiva nessa modalidade. Então, é uma modelagem baseada nas teorias das atividades rotineiras, juntamente com a quebra dentro da economia do crime, juntamente com a boa resposta no Sistema Penitenciário e da Justiça, que mantêm esses reincidentes mais tempo presos. Junte tudo isso a um trabalho de aprimoramento de policiamento e o resultado são os 25 meses de progressos nos números, que partiram de iniciativas executadas e que vem sendo melhoradas”, pontua Aloísio Lira.

Crime Violento Contra o Patrimônio

No acumulado de janeiro a junho de 2019, a redução CVP 1, que abrange roubos a pessoa, de documentos e outros, é de 22,9%. Foram 28.080 ocorrências desse tipo registradas, em 2018, contra 21.643, em 2019. No total, são 6.437 roubos a menos do que no ano passado.

Ainda no acumulado, todas as regiões do Ceará registraram números positivos. A maior queda percentual foi no Sul do Estado, com 29,2%, indo de 2.237 para 1.584. Em seguida, vem o Norte, com queda de 27,9%, indo 2.523 para 1.818. Depois, vem a Região Metropolitana, com 23% de redução, diminuindo de 4.640 para 3.572. Por último, vem Fortaleza com redução de 21,5%, passando de 18.680, no primeiro semestre de 2018, para 14.669, nos primeiros seis meses deste ano. Em junho último, o Estado reduziu em 23,2% o CVP 1, com 1.091 ocorrências a menos se comparado ao ano passado. Foram 4.699 ocorrências, no sexto mês deste ano, contra 3.608, no mesmo período de 2018.

No CVP 2, que abrange roubo de carga, com restrição de liberdade da vítima, a residência, de veículos e contra instituições financeiras, a redução foi ainda maior em 2019. Os seis primeiros meses contabilizaram uma queda de 47,4%, com 5.816 ocorrências no ano passado, contra 3.057, no mesmo período de 2019. No total, são 2.759 crimes a menos.

A maior redução percentual, no primeiro semestre de 2019, foi em Fortaleza, com 51,8%: 3.082 (2018) e 1.487 (2019). Em seguida, vem a Região Metropolitana da Capital, com 49,3% de queda: 1.510 (2018) e 766 (2019). Depois vem o Interior Sul, com 36,1% de diminuição: 523 (2018) e 334 (2019). Por último, o Interior Norte, com retração de 33%: 701 (2018) e 470 (2019). Só em junho, foram 367 ocorrências a menos no Ceará, se comparado com o mesmo período do ano passado. Isso corresponde à queda de 41,5% nos crimes, passando de 885 para 518.

(Com SSPDS)

 

Compartilhe:

Comente com Facebook

Redes Sociais

Feiticeiro Fm