Destaques

Nove cidades cearenses tiveram o número de óbitos maior que o de nascimentos

Nove cidades cearenses tiveram o número de óbitos maior que o de nascimentos. A população do município de Novo Oriente, localizado no Sertão Central do Ceará, foi a que mais encolheu: o número de mortes superou o de nascidos vivos em 91 habitantes. Localizado na mesma macrorregião, Ipaporanga foi a segunda cidade com o maior encolhimento, com 63 habitantes a menos.

Para Thereza Magalhães, professora de enfermagem da Universidade Estadual do Ceará (Uece), os dados são um reflexo de uma lacuna na distribuição e articulação de serviços médicos. Ainda que a assistência primária tenha uma estruturação razoável, a hora do nascimento é o momento de maior incerteza e dificuldade para a mãe, de acordo com Thereza.

“O que adianta ter acesso a todas as consultas pré-natais se na hora de parir não há a certeza de onde o procedimento vai ser realizado? Isso fragiliza as mulheres nesse momento. E ainda acontece muito. Poucas pessoas, que têm mais acesso a bens e serviços, conseguem programar onde o filho vai nascer”, ressalta.

A esperança, segundo a professora, é que o Hospital Regional do Sertão Central (HRSC), em Quixeramobim, ajude a melhorar os dados na região. A unidade dispões de 10 leitos de UTI neonatal e Centro de Atenção à Saúde Sexual e Reprodução, com cinco salas obstétricas. “Não é só aumentar o número de leitos, mas reorganizar a dinâmica dos hospitais e do sistema de saúde”, argumenta.

As informações são do Jornal O POVO.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm

error: Conteúdo Protegido !!