Destaques

Saiba como regularizar o CPF para pedido de auxílio emergencial

No processo de pedido do auxílio emergencial liberado pelo Governo Federal por causa da pandemia de Covid-19, muitas pessoas têm se surpreendido com irregularidades no Cadastro de Pessoa Física (CPF). Sem o documento, microempreendedores, trabalhadores informais e beneficiários de programas de bem estar social não podem adquirir o auxílio de R$ 600 ou R$ 1,2 mil.

No entanto, para regularizar o CPF não é preciso ir até a sede física da Receita Federal. A maior parte das pendências pode ser regularizada instantaneamente no site da instituição. Confira as possibilidades de regularização do CPF no site:

Clique aqui para verificar a situação cadastral do seu CPF.
Clique aqui para atualizar o cadastro do seu CPF.
Clique aqui Caso o CPF esteja “suspenso”.

Também é possível consultar a situação cadastral do CPF no Banco do Brasil, na Caixa Econômica e nos Correios. Há custo de R$ 7 para as entidades realizarem o serviço.

Por outro lado, caso o contribuinte não consiga resolver a situação do CPF pelo site da instituição, a Receita criou um e-mail específico ([email protected]) para o atendimento durante pandemia do novo coronavírus. O superintendente da Receita Federal da terceira região, João Batista Barros, explica o que é preciso inserir no e-mail para atendimento mais eficiente:

Nome completo;
Telefone para contato;
Cópia do documento de identidade;
Caso o documento esteja desatualizado, inserir também certidão de nascimento ou de casamento;

Ainda, boa parte dos problemas com o documento no aplicativo são inconsistências “desnecessárias”, como grafia errada do nome ou da naturalidade, comenta Barros. Para resolver isso, a Receita já está em contato com a Caixa Federal para ajustar o aplicativo e fazer com que ele “releve” incongruências do tipo.

O superintendente reforça o pedido para os contribuintes evitarem sair de casa para resolver pendências com a Receita Federal. “O atendimento presencial está bastante reduzido, porque pessoas no grupo de risco tiveram que ser afastadas do atendimento presencial. Mas elas estão exclusivamente no trabalho remoto nesses e-mails”, explica Barros.

“Fortaleza está em uma situação delicada do ponto de vista dos números nacionais, é importante que a gente evite ao máximo aglomerações”, insiste. “Se tiver dificuldades em usar o e-mail, peça ajuda a um familiar ou alguém de confiança. Queremos garantir que todo contribuinte seja atendido”, disse o superintendente da Receita Federal.

(O POVO)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm