Destaques

Governo do Ceará discute a retomada das atividades econômicas

Após um mês desde o decreto de suspensão do comércio no Ceará, o Governo Estadual passou a discutir a retomada das atividades econômicas. Para isso, foi criada uma comissão com representantes do Executivo e entidades da sociedade civil com o intuito de realizar estudos sobre cenários para o retorno do trabalho. De acordo com o governador Camilo Santana, com os dados obtidos ao longo do mês de abril, é possível realizar um “diagnóstico” para possíveis ações de recuperação da atividade econômica.

A Comissão deve se reunir com a administração da Secretaria da Saúde na tarde desta terça-feira, 28, para dar início a avaliação dos critérios a serem utilizados na retomada do comércio. Atualmente, 75% da indústria cearense continuam funcionando. Segundo o titular da Casa Civil, apenas as atividades presenciais estão suspensas no Estado.

O grupo de trabalho foi criado com a proposta de avaliar a flexibilização das atividades econômicas, visando o retorno gradual do comércio, segundo afirma o titular da Casa Civil, Élcio Batista. À frente das discussões da Comissão, ele relata que o grupo deve antes construir os critérios, juntamente com a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), para que o processo de reabertura das atividades seja iniciado.

“Isso vai depender dos números que a gente vai aferir, de como a pandemia está se proliferando no estado do Ceará, como ela tem evoluído. E ao mesmo tempo isso vai depender da nossa infraestrutura de atendimento, se ela tem capacidade de atender ao surto vigente, e se ela pode dar uma resposta caso ele venha a aumentar”, comenta Élcio em entrevista à rádio O POVO/CBN.

A estratégia de reabertura do comércio tem sido pauta do diálogo do Governo Estadual com os diversos setores comerciais cearenses, segundo afirma o secretário da Casa Civil. Ele destaca, no entanto, que a prioridade é a eficiência no combate ao coronavírus. “Precisamos ser responsáveis, dado que uma ação nossa pode implicar na transmissão do vírus e se materializar no colapso do sistema de saúde”, afirma Élcio.

Segundo o secretário, as pautas a serem avaliadas devem levar em conta o que tem sido realizado com eficiência em outros países e ainda a situação do surto da Covid-19 no Ceará. “Tudo que está sendo feito é para que o sistema de saúde não entre em colapso”, reforça o secretário.

(Com informações do O POVO)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm