Regionais

Presidente da Associação Comercial de Crateús faz desabafo sobre a situação do comércio diante a pandemia

O governador Camilo Santana anunciou no último sábado (06), a prorrogação do decreto de isolamento social em todo o Estado do Ceará por mais uma semana. Em Fortaleza, a fase 1 do plano de retomada a economia foi iniciada.

Em Crateús as medidas restritivas prolongadas pelo Estado e Município mantém o comércio fechado, de acordo com o Roberto Lima presidente da Associação Comercial de Crateús (ACIC), muitos comerciantes não conseguirão reabrir devido o acúmulo de dívidas, pois os donos dos estabelecimentos não têm condições de pagar aluguéis atrasados, salários dos funcionários e diversos impostos. “Muitos comerciantes estão depressivos, de cabeça baixa”, enfatiza Roberto.

Outra preocupação sobre a economia local é o desemprego. “Muitas empresas estão se adaptando ao delivery, muitas empresas mudaram o sistema de trabalhar, vocês vão notar isso, se tem três pessoas trabalhando, quando reabrir vão continua os três e não os dez que tinha“, disse Roberto Lima.

O presidente da ACIC também relata que os comerciante são vistos como vilões gananciosos, por defenderem a reabertura do comércio, mas que na realidade a categoria só quer voltar ao trabalho adaptando-se aos cuidados na prevenção da covid-19, ele fez questão de lembrar que a Associação Comercial e a Câmara de Dirigentes Lojista de Crateús, já realizaram várias ações em prol da saúde do município, como na implantação de UTI, SAMU e da ampliação dos atendimentos com o tomógrafo da Policlínica. Segundo Roberto o comércio de Crateús não suportará permanecer fechado até o fim de junho.

Acompanhe o vídeo abaixo

(Redação do Blog Por Samila Gomes)

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm