Destaques

Nordeste passa a contar com sistema de integrado de informações da agricultura familiar

Nesta quarta-feira (19), o Fórum dos Gestores e Gestoras da Agricultura Familiar do Nordeste lançou o Sistema de Informação Regional da Agricultura Familiar (Siraf) e apresentou a proposta de criação do Programa de Alimentos Saudáveis do Nordeste (PAS). A assinatura foi transmitida pelo Youtube e contou com as participações dos governadores Camilo Santana (Ceará), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Paulo Câmara (Pernambuco) e Wellington Dias (Piauí).

O sistema conta com um investimento de R$ 609 mil e será expandido do Rio Grande do Norte para os demais estados nos próximos dias. Os recursos são de um convênio firmado entre Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e Aksaam. Além de qualificar as informações de mercado, o Siraf agilizará compras governamentais e abrirá canais de comercialização com o setor privado (redes de supermercado, fair trades, etc.).

“É um sistema regionalizado que dará concretude à integração da região Nordeste. Representará ainda uma ferramenta de fortalecimento a este importante setor da economia e permitirá a resistência e a união de todos os agricultores familiares”, definiu o governador Camilo Santana. Em seu discurso, a governadora Fátima Bezerra definiu o PAS como “uma saída ordenada voltada à retomada das políticas públicas voltadas para a agricultura familiar”.

“O Siraf se apresenta como a solução que todos estavam esperando, uma vez que vivenciamos um momento delicado em decorrência da pandemia da Covid-19. A digitalização da agricultura familiar passa a ser condição essencial e aproveitamos esta oportunidade para compartilharmos as nossas experiências para que, ensinando, possamos aprender mais com a experiência de outros países”, saudou o secretário do Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz.

Outras propostas do fórum são: criar um fundo reembolsável destinado à projetos de implantação e ampliação de agroindústrias, avançar nas políticas de convivência com o semiárido, apoiar à pesca artesanal e garantir a inclusão produtiva de povos tradicionais e originários. “A digitalização dos serviços, tanto na assistência técnica quanto comercialização, é muito importante neste momento quando os deslocamentos físicos estão limitados”, concluiu Claus Reiner, gerente de projetos do Fida.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm