Destaques

Ceará: combate a vulnerabilidade social teve investimento de R$ 50 milhões através do Cartão Mais Infância

“Esse benefício ajuda bastante nas despesas da casa. Com essa pandemia, estou mantendo a alimentação dos meus filhos, além de, vez ou outra, comprar remédios para eles. Essa quantia pode complementar também o pagamento do material escolar, caso necessário. Sou muito grata por fazer parte do público contemplado com esse dinheiro”, informa a dona de casa Maria Ilani da Silva, que mora em Chaval, no Litoral Norte, e teve o pagamento do Cartão Mais Infância antecipado pelo Governo do Ceará, para auxiliar as famílias cearenses mais vulneráveis neste momento de pandemia do coronavírus.

A transferência de renda no valor de R$ 85 que seria depositado somente em janeiro do próximo ano foi antecipada pela décima vez consecutiva e já está disponível na conta dos beneficiários, totalizando um investimento de R$ 3,8 milhões. Nos últimos anos, com mais de 48 mil famílias contempladas, o Estado realizou o investimento de cerca de R$ 109,5 milhões, para auxiliar as famílias com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses em situação de vulnerabilidade.

“Continuamos em meio a uma pandemia e os riscos da doença permanecem. Por isso, o Governo do Ceará realiza investimentos em ações voltadas ao desenvolvimento infantil. Este ano foram destinados quase R$ 50 milhões no pagamento do Cartão Mais Infância, atendendo as necessidades das nossas crianças. O benefício está disponível para saque, mas, a fim de evitar aglomerações, utilize o cartão nos estabelecimentos comerciais”, conclui a primeira-dama do Ceará, Onélia Santana.

O benefício

O Cartão Mais Infância é destinado para núcleos familiares cearenses com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses que se enquadrem na situação de alta vulnerabilidade social: residentes de zona rural, em propriedades sem banheiro ou sanitário, de estrutura inapropriada (taipa, palha, madeira aproveitada ou outro material), além de residências urbanas sem água canalizada em, pelo menos, um cômodo. Para conceder o benefício, a família deve está escrita no Cadastro Único Para Programas Sociais (CadÚnico).

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm