Destaques

Quase 100 mil beneficiários do auxílio emergencial ou Bolsa Família foram doadores de campanhas

Um relatório divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou o total de 221.355 casos de indícios de irregularidades. Somados, os recursos financeiros chegam a mais de R$ 950 milhões.

Dos tipos de irregularidades identificadas, a que aparece com maior frequência é a de pessoas que doaram para candidatos, mas estão inscritos em programas como Bolsa Família ou Auxílio Emergencial do Governo Federal. Foram identificadas 91.500 casos desse tipo. Os valores chegam a R$ 77,5 milhões.

Em segundo lugar no número de ocorrências, estão 45.780 fornecedores com sócios ou representantes e familiares que também recebem Bolsa Família. Esse tipo de indício de irregularidade representou a maior concentração de valores: R$ 612,6 milhões

Em terceiro lugar aparecem 27.576 casos de doadores concentrados em uma mesma empresa e doando para determinado candidato específico. A soma desse tipo de irregularidade é de R$ 37 milhões.

A partir do levantamento, os juízes eleitorais podem determinar diligências para comprovar a procedência do indício de irregularidade e utilizar essas informações para fins de exame e julgamento da prestação de contas de campanha eleitoral.

Os indícios de irregularidades também foram encaminhados à Procuradoria-Geral da República para compartilhamento dessas informações com as promotorias estaduais para fins de apuração e – se procedente o indício – apresentação de representação judicial.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm