Destaques

Hora de Plantar já distribuiu duas mil toneladas de sementes em 54 municípios

O Projeto Hora de Plantar 2020/2021 já distribuiu 2.169.470 kg de milho variedade e milho híbrido, feijão caupi e sorgo forrageiro em 55 municípios cearenses. De acordo com balanço divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário, a iniciativa já concluiu a entrega dos armazéns de Barbalha, responsável pelo abastecimento de 14 municípios; Milagres, 18 municípios; Iguatu, 10; Tauá, 7; e, paralelamente, iniciou a entrega das sementes nos municípios atendidos pelo armazém em Crateús.

Lançado em dezembro pelo governador Camilo Santana, o Hora de Plantar prevê a entrega de 3.410 toneladas de sementes até fevereiro de 2021. A projeção do Governo do Ceará inclui atender cerca 155 mil agricultores familiares em 182 municípios beneficiados e entregará, ainda: 5 mil m³ de manivas de mandioca, 6,262 milhões de raquetes de palma forrageira e 736 mil mudas, entre frutíferas, de caju anão precoce e essências florestais nativas.

“Esse é um projeto que temos aqui no Estado desde a década de 80 e o Ceará é o único estado brasileiro a realizar uma iniciativa de distribuição de sementes de qualidade nesse porte, para que o nosso agricultor possa ter uma produção e um ganho econômico maior”, destacou o governador Camilo Santana durante a cerimônia realizada no Palácio da Abolição.

Ainda nesta semana, está previsto o início da entrega das sementes nos armazéns de Quixeramobim; e, já na próxima semana, a previsão é começar a distribuição a partir de Morada Nova. O armazém de Fortaleza, que atende as regiões Norte, do Maciço de Baturité e Metropolitana, tem início previsto ainda em janeiro.

Balanço

Nos últimos cinco anos, o Hora de Plantar já realizou a entrega de 15.662,89 toneladas de sementes, 35 milhões de raquetes de palma forrageira e 22.642 m³ de manivas de mandioca nos últimos cinco anos. A ação distribuiu ainda 1.814.159 mudas de caju anão precoce, 646.863 mudas de essências florestais nativas e 12.685 mudas de outras frutíferas

“Em 2020, o Estado do Ceará deve superar uma safra agrícola de mais de 800 mil toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas e o Hora de Plantar é uma política pública decisiva para que possamos compreender este resultado”, opina o secretário de Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz.

Padrão de Qualidade

Um dos diferenciais do projeto é o alto padrão da semente, que é fiscalizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “Recebo essa semente faz vinte anos. A diferença entre essa semente e o grão que a gente compra no mercado é que o milho que a gente recebe pela Ematerce brota mais rápido, cresce mais igual e vinga uma espiga maior – e a semente também é mais maior”, disse o agricultor Antônio de Noé, natural do município de Ocara. “Ela é o que me dá a segurança de que posso plantar: a gente sabe que a espiga é de qualidade”, conclui.

Além disso, a edição 2020/2021 expandirá o fornecimento de 6 para 90 toneladas a quantidade de milho biofortificado para 600 agricultores familiares do Estado. A cultivar BRS-4104, desenvolvida pela Embrapa, possui uma concentração de carotenoides precursores da vitamina A de 2,5 a 3,2 vezes maior do que os valores encontrados no milho comum, mesmo mantendo características como cor e sabor. O resultado é um alimento mais nutritivo e com potencial de combater problemas de visão e baixa imunidade, causados pela falta de vitamina A na alimentação humana.

“Como o milho é abundante na mesa dos nordestinos, na preparação do cuscuz, da canjica, da pamonha, de bolos ou mesmo do milho cozido, todos consumiriam automaticamente algo de maior valor nutricional”, justifica De Assis Diniz.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm