Regionais

Abacate Hass produzido em São Benedito será exportado para Europa

A partir de 2023, a produção de abacate da variedade Hass cultivado em São Benedito, será exportada para Europa. A plantação da fruta e tocada pelo empresário paulista Roberto Reijers, que produz flores, inclusive rosas, na Serra da Ibiapaba. São 100 hectares na região do carrasco no referido município.

Essa plantação foi visitada há alguns dias pelo presidente da Federação da Agricultura do Ceará (Faec), Amílcar Silveira, que confirmou que toda a produção de abacate da Reijers será destinada à exportação, que será iniciada no próximo ano, tendo como mercado-alvo a Europa, onde a variedade Hass é a preferida.

Ainda de acordo com o presidente da Faec, Roberto Reijers prometeu dobrar sua produção cearense de flores, que é hoje de 100 milhões de hastes por ano e que se desenvolve em estufas que ocupam área de 80 hectares muito próxima da zona urbana da sede municipal de São Benedito.

“Mas para isso será necessário que o governo do Estado assegure o fornecimento de água, e isto só será possível com a construção do açude Lontras”, informou Amílcar Silveira.

O projeto de construção do açude Lontras, que barrará o rio Inhuçu, está pronto e aguarda licitação desde 2014. 80% de seu espelho d’água serão localizados na geografia do município de Ipueiras. Ele terá capacidade para represar 347 milhões de m³ de água. Para transportar a água até a serra da Ibiapaba, será necessária a construção de uma adutora.

A Faec prometeu ao empresário empreender esforços no sentido de sensibilizar as secretarias de Recursos Hídricos (SRH) e do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) no sentido de apressar a licitação para a construção do Lontras.

Como a obra custará entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões, o governo do Estado, sozinho, não tem nem terá condições de executá-la, sendo necessário apoio do governo, federal por meio de emendas parlamentares ao Orçamento Geral da União de 2023, como disse a esta coluna, no dia 2 de abril deste ano, o secretário Francisco Teixeira, titular da SRH.

Hoje, as sedes municipais e alguns distritos da Serra da Ibiapaba são abastecidos pelo açude Jaburu, construído em 1980, que enfrenta crescentes problemas geológicas da geografia em que foi implantado. Por esta razão, sua capacidade, de 210 milhões de m³, foi reduzida para 75 milhões de m³, volume insuficiente para garantir o abastecimento humano, a dessedentação animal e os projetos agrícolas que crescem na região da Ibiapaba.

(Redação do Blog Por Egídio Serpa do DN)

Compartilhe!

Feiticeiro Fm

VACINAÇÃO SALVA

error: Conteúdo Protegido !!