Destaques

Abandono escolar apresenta redução contínua no Ceará e chega a 3,8% em 2019, menor nível da história

As políticas de melhoria da qualidade da educação pública cearense vêm repercutindo, diretamente, na permanência dos estudantes na escola. Desta forma, o índice de abandono no Ensino Médio vem registrando reduções sucessivas, tendo chegado ao menor patamar da história em 2019, com a taxa de 3,8%. A aferição anterior, de 2018, era de 5%. Para se ter uma ideia, no ano de 2007, 16,4% dos alunos abandonavam os estudos. A redução ao longo do período, portanto, foi de 12,6 pontos percentuais. Além disso, das 728 escolas da rede pública estadual, 138 apresentaram abandono zero em 2019.

A secretária da Educação, Eliana Estrela, avalia que se trata de uma redução expressiva do índice, o que demonstra a maior atratividade das escola para os jovens. “Isso é resultado de políticas públicas educacionais tanto de qualificação do Ensino Fundamental, fazendo com que o estudante chegue ao Ensino Médio melhor preparado e com mais expectativa de conclusão, como de ações de acolhimento promovidas pelas escolas, por meio do desenvolvimento das competências socioemocionais, criando uma ambiência favorável para a permanência do estudante ao longo do Ensino Médio”, pontua.

O trabalho começa nos primeiros anos de escolaridade com o Programa Aprendizagem na Idade Certa (Mais Paic), destinado à melhoria dos resultados da alfabetização ao 9º do ensino fundamental da rede pública, em colaboração com os 184 municípios cearenses.

No Ensino Médio, foi instituída a Política de Desenvolvimento de Competências Socioemocionais. O Projeto Professor Diretor de Turma é uma das iniciativas neste sentido e tem o objetivo de promover um diálogo constante do aluno com seus familiares, com a direção da escola e seu corpo docente. A gestão estadual desenvolve, ainda, o projeto Enem Chego Junto, Chego Bem, que apoia os estudantes para o ingresso no ensino superior.

Outra medida considerada relevante para a permanência dos alunos na escola é o investimento no tempo integral. O Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), ampliou a oferta de jornada prolongada na rede pública estadual de ensino cearense em 2020, tendo lançado 25 novas unidades nesta modalidade no início do ano. Ao todo, são 277 escolas com atividades nos dois turnos, o que representa 38% do total. São 155 Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral e 122 Escolas Estaduais de Educação Profissional (EEEP) distribuídas em todo o território cearense.

As EEMTIs concentram matrícula de 41 mil alunos em 71 municípios, localizadas em áreas consideradas mais vulneráveis socialmente. As EEEPs atendem mais de 50 mil alunos, em 98 municípios, ofertando 52 cursos profissionalizantes de forma articulada ao currículo base do Ensino Médio.

As atividades realizadas durante o tempo extra potencializam o desenvolvimento de habilidades. Além da composição clássica do currículo, são trabalhadas algumas inovações que geram maior engajamento do estudante com o processo educativo.

Compartilhe:

Comente com Facebook

Feiticeiro Fm