Segurança

Ceará ultrapassa a marca de 11 mil capturas de pessoas envolvidas em crimes em 2021

Desde o início de 2021, mais de 11 mil pessoas foram capturadas por envolvimento em crimes no Ceará, seja por autos de prisão e apreensão em flagrante ou por cumprimento de mandado de prisão. O número é resultado de um balanço feito a partir de operações policiais coordenadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e por suas instituições vinculadas – Polícias Militar do Ceará (PMCE) e Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE).

Ao todo, foram 11.053 prisões e apreensões de janeiro a abril de 2021. O número de capturas equivale a uma média de 93 prisões e apreensões por dia, conforme análise da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supep) da SSPDS. Para o secretário da pasta, Sandro Caron, esse número de capturas reflete diretamente na redução dos índices criminais no Estado.

“Isso é um trabalho permanente, também dentro de uma estrutura de muita integração que temos dentro da Secretaria da Segurança hoje. Um dado muito importante, desde o dia 1º de janeiro, a Polícia Militar do Ceará e a Polícia Civil do Estado do Ceará capturaram juntas mais de 11 mil pessoas envolvidas com a prática de crimes. Tivemos reduções significativas nos homicídios na Região Metropolitana e tivemos também uma queda recorde aqui em Fortaleza, nesse mês de abril, comparado com o mesmo mês do ano passado, com uma redução de 52%”, destacou o gestor.

Complementando os dados citados por Caron, na Capital aconteceram 69 CVLIs no mês passado, enquanto no mesmo período de 2020, foram 145 (-52,4%). No Ceará, foram 275 contra 439 (-37,4%). Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), foram registrados 88 CVLIs, em abril último, e 143 no mesmo mês de 2020 (-38,5%). O Interior Sul e o Interior Norte também apresentaram redução, respectivamente de 27,2% e 15,7%. O Sul caiu de 81 mortes no quarto mês do ano passado para 59; e o Norte foi de 70 CVLIs para 59.

Mês a mês

Em abril, o número de capturas foi de 2.785. Desse número, 2.450 foram de prisões e apreensões em flagrante e 335 foram de mandados cumpridos. Desse total, em 14% das capturas também tiveram armas de fogo apreendidas (316 de 2.785); e em 24% tiveram drogas apreendidas (em 539 de 2.785).

“Nós estamos fazendo um trabalho muito grande de intensificação dos trabalhos operacionais, baseadas também em muita atividade de inteligência e o estudo das estatísticas. Por exemplo, nós mapeamos diariamente aqueles locais do Estado que têm uma maior incidência de crimes graves, como homicídios, assaltos, tráfico de drogas e crimes sexuais, e isso permite que cada comando da Polícia Militar e da Polícia Civil tenha, em tempo real, quais os locais que concentram maior número de crimes. Com isso, conseguimos agir com mais eficiência”” completa Caron.

Os meses precedentes também registraram números aproximados de prisões/apreensões. Março registrou 2.936, fevereiro registrou 2.808, e janeiro com 2.524.

Compartilhe!

Feiticeiro Fm

Cópia de conteúdo proibida!